Ele quer beber

errado, condenado

mas como?

cresceu vendo que era vergonha,

fazer como todos…

está imerso

e tudo sozinho,

me-lan-co-li-a,

tédio

falta de carinho

cheias de defesas

presas

que exemplo

tristeza

cotidiana

com tatos e dedos,

cuidados e etiquetas.

ciclo,

na vergonha voltas

ao fundo

da garrafa

nosso mundo é

minha vergonha

permitimos

na defesa

ela vinha

no gargalo

rabo de galo

o ébrio,

ditar

cuidados e etiquetas.

ciclo

eita!

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *