½ Conto

Eu vou lhe contar um conto. Um não, dois contos. Na verdade, é um conto dentro de outro conto, o que, pensando bem, deve resultar em meio conto. Eu não sou tão bom com cálculos mesmo, então leia a matemática que você fará.

Uma vez em um tempo, havia um menino, um não dois meninos, que eram siameses. Sim, eles eram unidos por um corpo só, mas cada um pensava individualmente com sua cabeça. Um amava o Outro e o Outro não amava o Um na mesma proporção, ou seja, Um amava o Outro mil por cento e o Outro amava o Um uns cinquenta ou quarenta por cento. Mas eles tinham que viver juntos todo o tempo, não tinha jeito. Logo, o amor era uma condição necessário para viver.

Até que um dia, eles viram na televisão um método de dividir corpos, de modo que não acontecesse a subtração de um, mas o oposto, a adição. Eles não seriam mais vistos como uma pessoa com duas cabeças, mas duas pessoas com uma cabeça. É claro que essa divisão não era tão exata assim, afinal, existia a possibilidade de não encontrem o “x” da questão, e o resultado alterar. A equação foi colocada abaixo, para que o leitor melhor compreenda como é feita essa operação:

 

1Corpo + 2Cabeças / 2Corpos = (1Corpo.x)²

 

Agora me lembrei! Estava escrevendo sobre o amor entre esses tão queridos irmãos, não é? Pois é, talvez o leitor tenha ficado um pouco perdido sobre a proporção de amor entre eles, então acho válido clarificar matematicamente como era este cruel sentimento:

 

1000/100 – (y.[50+40]/100) = AMOR DOS IRMÃOS SIAMESES

 

Ah, a matemática. É um assunto fascinante. Quão exata ela é, não é? Vou deixar um problema para o leitor melhor compreender este tão agradável conto, e depois eu volto a discutir o problema dos irmãos siameses:

Dentro de um cachorro havia um gato. Dentro de um gato havia sapo. Dentro de um sapo havia uma aranha. Dentro de uma aranha havia uma mosca. Dentro de uma mosca havia sangue humano. Descubra o que havia dentro do ser humano. Para tanto, considere X como ser humano. “a”, “b”, “c”, como animais que não estão presente no problema, mas que correspondem à mesma sequência na cadeia alimentar.

Talvez esta fórmula ajude:

 

X = √a.(b)².c³/-b.2(-a+c)

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *