Cervo

Escrito por: Lilizinha Klein

Sentada no balanco,

com meu macacão banco,

a balanca que eu sento

cede e eu me espanto.

cai de bumbum no xão

e vi o que acho que era um cão.

Óóó… não!

Acerela o meu coracão.

Era só um gato peto.

sempre fico com medo

Papai uma vez dise: saia cedo

e fiqua lonje do cervo.

Ai que medo,

Ele não tá mais aqui!

Tô sosinha na fasenda

e só ouco o cervo.

Já mandei uma cartinha,

para o guardinha daqui da cidadizinha.

Acho que acham que é brincaderinha.

Resovi faser um poeminha.

Que barulo na cosinha?

Socorro, é o cervo

eu to no quarto

cervo que entra

o xifre é gande

o que faco!

ele vai entra

vai me mata

olios são orrivel!

Papai,

adeus…

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *