A maré, amar é

Não sou mais apaixonada por você. Acabou, assim, como uma chama que se apaga. Letras foram apagadas e o que restou foi um amor feito de lembranças queimadas e idealizações trucidadas que precisaram morrer pra realidade nascer. Não sou mais apaixonada por você. Apaixonada. Nada. Nadando. Aquele amar inquieto e cheio de ondas agora não … “A maré, amar é”

Read More

Bebendo a morte de canudinho

Lembro daquele copo laranja que eu ganhei de presente no dia do meu aniversário sendo preenchido com gargalhadas e vozes sem sentido. Aquele líquido alcoólico sabor limão ia subindo pelo canudo e todas as minhas histerias contidas iam sendo derramadas sobre você que ria e me afastava implorando que eu tomasse juízo. Mas eu que … “Bebendo a morte de canudinho”

Read More

Liberdade escravizada – Por Betina Pilch

Era uma vez uma menina que não gostava de verdade das pessoas, mas também não gostava de mentira. Ela amava apreciar o ser humano e sua estranha complexidade, mas quando essa complexidade ultrapassava sua razão ela não sabia lidar e corria depressa. Quando tudo começava a se complicar ela fechava os olhos para a realidade exterior … “Liberdade escravizada – Por Betina Pilch”

Read More