Oito deitado

Tudo começou com uma fração pra mudar um resultado indesejado. Foi assim… Eu perguntei “credes no amor?”. Ele respondeu “sou ateu”.
Me disseram na época da escola que quando tinha letras iguais em cima e embaixo de uma fração era só cortar para simplificar. Então fiz um cálculo fajuto fracionando a resposta errada que ele me deu.
(A)teu em cima. (A)mor embaixo. E ele passou a ser meu. Totalmente meu. Capitão mor do meu coração. Graças a essa bendita fração.
Depois disso ouvi alguém dizendo meio furioso “ou soma ou some”. Tremi na base. Sabe, uma fração me salvou, mas eu odeio matemática. Agradeci a Pitágoras (porque foi o único nome que relacionei com a disciplina dos números) por meu mor ser bem ruizinho nessas coisas de somar. Porque, em suma, ele não sabe somar e eu não deixo ele sumir. Assim nosso amor nunca será exato e como resultado eu coloco um oito deitado.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *